04/05/2021 0 comentários

Quando o assunto é turismo religioso e devoção de fé, o destino mais lembrado por todos no Brasil é da estância turística de Aparecida, que leva este nome por causa da Nossa Senhora Conceição Aparecida, padroeira do Brasil. Segundo o IBGE/2020, a população estimada é de 36.185 pessoas e este destino recebe mais de 15 milhões de visitantes por ano, em especial em 12 de outubro, feriado nacional.

Este dia foi escolhido, pois a cidade já contava com outros fatos importantes, como a chegada de Cristóvão Colombo às Américas, em 12 de outubro de 1492, e no ano de 1822, no mesmo dia, após a independência do Brasil, a nação ganhou seu primeiro imperador, Dom Pedro I.

Situada na Região Metropolitana do Vale do Paraíba como o principal local do Circuito de Fé, Aparecida tem sua localização privilegiada no interior de São Paulo, a 168 km de distância da Capital, cortada pela Via Dutra, importante rodovia brasileira, e está entre São Paulo e Rio de Janeiro. A “Capital Mariana da Fé” é o maior ponto turístico religioso do Brasil e um dos principais da América Latina.

Com 392,2 m de comprimento, a Passarela da Fé é o caminho entre a Basílica Velha e o Santuário Nacional. O grande atrativo do município é o Santuário Nacional, sendo o maior santuário mariano do mundo, segunda maior basílica e um dos cinco mais visitados. Aqui nesta estância, foi construído em 1955 para abrigar a imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Vale lembrar que quando os visitantes vão em direção ao estacionamento, encontram o Presépio que abriga esculturas que reproduzem importantes fatos histórico-religiosos do nascimento de Jesus Cristo e outras representações, como o encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida nas águas. Próximo ao Santuário, está localizada a Passarela da Fé, grande atrativo com 392,2 metros de comprimento e 35 de altura, que segue para a parte alta da cidade e seu formato em S é uma homenagem à padroeira. Vale dizer que muitos devotos pagam suas promessas atravessando a Passarela de joelhos.

Ainda próximo ao Santuário, tem o Teleférico que também liga a parte alta da cidade onde está a Basílica Velha, marco histórico da cidade, construída em 1745, em um estilo barroco. Foi o primeiro local a abrigar a imagem da Nossa Senhora e é um dos lugares mais visitados pela sua importância e história. Seu tombamento oficial pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) aconteceu em 18 de abril de 1982. O Morro do Presépio, inaugurado em 2006, fica nos pátios do Santuário Nacional, com mais de 70 esculturas.

Mas as atrações de Aparecida não param por aí: o Morro do Cruzeiro é um ponto de peregrinação com esculturas que representam as estações da via sacra; o Memorial Redentorista abriga um museu, a Capela Memorial Redentorista e a Capela em homenagem ao Padre Vítor, conhecido como Apóstolo do Rádio e está em processo de beatificação; o Mirante da Santa, localizado no alto do morro da Rua Antônio Bittencourt da Costa, com seus 17,6 metros de altura é considerado o maior monumento dedicado à Aparecida no mundo; no Porto Itaguaçu o visitante pode andar de barco pelo Rio Paraíba do Sul, local onde foi encontrada a imagem; já no caminho do Porto, encontra-se o Mirante das Pedras, com a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida de 1,8 m e a bela vista da várzea onde corre o Rio Paraíba e a Serra da Mantiqueira.

Antes de ir embora, o turista não pode deixar de comprar as lembrancinhas de Aparecida na Feira Livre. Gosto para todos. A história da cidade está ligada com a fé e tudo começou quando o Conde de Assumar estava de passagem pela Vila de Guaratinguetá a caminho de Vila Rica, onde está o atual município de Ouro Preto, para assumir o cargo de Governador da Capitania das Minas Gerais. O povo decidiu fazer um jantar para o Conde, três pescadores foram para o Rio Paraíba do Sul pescar para providenciar o jantar, quando estavam quase desistindo, já que não tinham conseguido nenhum peixe, encontraram a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida e, logo após a descoberta da imagem, conseguiram tantos peixes que o barco quase afundou.

Este acontecimento é considerado a primeira intercessão de Aparecida. A imagem da padroeira ficou na casa de um dos pescadores até 1745, quando foi construída a capela no Morro dos Coqueiros. Os milagres atribuídos à Santa foram constantes que originaram a criação de uma freguesia de Guaratinguetá, batizada de Aparecida.

A peregrinação dos fiéis aumentou bastante e, em 1888, foi construída a Basílica Velha ou Matriz Basílica e alguns anos depois, em 1928, ganhou sua emancipação e o Santuário Nacional em 1955. Desde 1980, quando o Papa João Paulo II consagrou a Basílica, 12 de outubro é comemorado o dia da padroeira do Brasil. Principais pontos de visitação e lazer: Basílica Velha A primitiva Capela de Nossa Senhora da Conceição Aparecida construída pelo padre José Alves Vilela em 1745 passou por duas reformas a primeira entre 1760 e 1780 quando recebeu nova fachada com duas torres e a Segunda entre 1824 e 1834. Atualmente a basílica velha está passando por uma nova reforma.

Em 1844 uma das torres não oferecia segurança. A Mesa Administrativa que cuidava dos bens da Capela pediu em julho do mesmo ano ao mestre de obras José Melo Costa que verificasse seu estado. Constatado o perigo a Mesa decidiu então demolir a torre e construir outra onde o término de sua construção ocorreu somente 19 anos depois em janeiro de 1864. A igreja que foi construída em estilo Barroco ostenta sua artística e vistosa fachada com suas duas torres seu altar-mor e o retábulo foram esculpidos em mármore de Carrara as figuras também em mármore que encimam o altar representam as virtudes.

A Basílica Velha foi tombada como monumento de interesse histórico-religioso e arquitetônico pela resolução n° II de 18 de abril de 1982. O som de seus carrilhões emociona devotos e turistas sempre às 12 e 18 horas. Basílica Nova O projeto elaborado pelo arquiteto Benedito Calixto de Jesus Neto tem 173 metros de comprimento por 168 metros de largura foram utilizados em sua obra mais de 25 milhões de tijolos e cerca de 40.000 m3 de concreto em uma área total construída de 23.000 m2 sendo a área construída coberta de 18.000 m2. A Basílica Nacional de Aparecida tem capacidade de abrigar 75 mil pessoas possui a forma de uma Cruz Grega e suas naves possuem uma altura de 40 metros a cúpula mede 70 metros de altura com um diâmetro de 78 metros e sua torre mede 100 metros de altura.

O Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida recebe atualmente cerca de 75 milhões de peregrinos por ano.  Estação Ferroviária: Edificação em estilo Neo Clássico construído pela Estrada de Ferro Central do Brasil no Ramal de São Paulo; passando posteriormente para Rede Ferroviária Federal S.A. e privatizada atualmente para M.R.S. Logística. A primeira romaria composta por quatro trens veio da cidade de São Paulo e dela participaram 5.000 peregrinos. Dois trens da Central do Brasil um de São Paulo Railway e um da Paulista. A peregrinação chegou ao Santuário de Aparecida em 08 de setembro de 1935.

Refesa: HISTÓRICO DA LINHA: Em 1869 foi constituída por fazendeiros do Vale do Paraíba a E. F. do Norte (ou E. F. São Paulo-Rio) que abriu o primeiro trecho saindo da linha da S.P.R. no Brás em São Paulo e chegando até a Penha. Em 12/05/1877 chegou a Cachoeira (Paulista) onde com bitola métrica encontrou-se com a E.F. Dom Pedro II que vinha do Rio de Janeiro e pertencia ao Governo Imperial constituída em 1855 e com o ramal que saía do tronco em Barra do Piraí Província do Rio atingindo Cachoeira no terminal navegável dois anos antes e com bitola larga (1 60m).

A inauguração oficial do encontro entre as duas ferrovias se deu em 8/7/1877 com festas. As cidades da linha se desenvolveram e as que eram prósperas e ficaram fora dela viraram as Cidades Mortas... O custo da baldeação em Cachoeira era alto onerando os fretes e foi uma das causas da decadência da produção de café no Vale do Paraíba. Em 1889 com a queda do Império a E.F.D.Pedro II passou a se chamar E.F. Central do Brasil que em 1890 incorporou a E.F. do Norte com o propósito de alargar a bitola e unificá-las. Os trabalhos começaram em 1902 e terminaram somente em 1908.

Em 1957 a Central foi incorporada pela Refesa. O trecho entre Mogi e São José dos Campos foi abandonado no fim dos anos 80 pois a construção da variante do Parateí mais ao norte foi aos poucos provando ser mais eficiente. Em 31 de outubro de 1998 o transporte de passageiros entre o Rio e São Paulo foi desativado com o fim do Trem de Prata mesmo ano em que a MRS passou a ser a concessionária da linha. O transporte de subúrbios existente desde os anos 20 no ramal continua hoje entre o Brás e Estudantes em Mogi.

Morro do Cruzeiro: Morro de peregrinações com as estações da Via Sacra com 680 metros de altura oferece uma excelente vista da cidade e parte da região. O local é arborizado com gigantescas arvores o que empresta um delicioso perfume às primeiras horas da manhã. No percurso há 13 capelas em estilo neoclássico antigas que abrigam os passos da Via Sacra. Lá no alto na década de 20 foi implantada uma enorme cruz pelos missionários Redentoristas durante as Santas Missões. Na esplanada posterior fica o Sepulcro com a imagem do Cristo morto. É importante notar durante a subida a quantidade de placas espalhadas pelo local atestando a fé e o agradecimento dos peregrinos pelas graças alcançadas.

Porto de Itaguaçu: Local onde foi encontrada a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida de grande peregrinação para o qual centenas de romeiros afluem afim de conhecer a história de onde tudo começou. O Porto Itaguaçu pertence a Arquidiocese foi inteiramente remodelado e apresenta infraestrutura condizente com o fluxo de visitantes. Possui um marco esculpido pelo artista aparecidense Chico Santeiro no local há algumas barracas e um barco para passeio pelo Rio Paraíba.

Terminal Ferroviário Inaugurado em 07 de setembro de 1971 na gestão do então prefeito Manoel Alves Nunes e do presidente da Câmara Municipal Pedro Gussain projeto do arquiteto Waldson Alves, possuí mais de 50 lojas de roupas lembranças lanchonetes diversões eletrônicas bomboniere relojoaria revistas e mais de 10 guichês de agências de ônibus. Possui dois andares em forma circular situada no Centro de Aparecida à Praça Francisco A. Julinanelli frente para a Praça Dr. Benedito Meirelles (São Benedito) fundos para a Rua Aristídes de Andrade tendo ao lado esquerdo a Rua São José.

Igreja de São Benedito Foi inaugurada em 1924 e tem proporção modesta e encimada por uma única torre campanário. Tem como seu maior destaque as figuras de anjos, esculpidas por Chico Santeiro, que enfeitam a porta e os berais da igreja. Apesar de modesta, a igreja de São Benedito transforma-se durante a festa de seu padroeiro, quando se torna o maior centro de manifestações folclóricas-religiosas do Vale do Paraíba, recebendo milhares de peregrinos devotos do santo de todos os cantos do país. São Bendito nasceu na Itália e sua fé e dedicação aos pobres fez dele um dos santos mais venerados do Brasil.

Relógio das Flores: O primeiro relógio de flores do Vale do Paraíba, com 9m de diâmetro, foi inaugurado em 2 de dezembro de 2003, na Praça Victor Coelho de Almeida. Nele estão plantadas mais de quatro mil mudas de todo o Brasil. Junto ao relógio estão dois belíssimos painéis que retratam um pouco da história da cidade.

Mirante das Pedras: Um belo e aprazível recanto de pedras afloradas no caminho do Porto Itaguaçu possibilitando a contemplação da várzea onde corre o Rio Paraíba e da Serra da Mantiqueira moldurando a paisagem.

O local tem como atração principal a imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida medindo 1,80m de altura possibilitando ao devoto tirar fotografias ao lado da Santa.