27/09/2019 0 comentários

CAXAMBU

Toda a atual região do sul do estado de Minas Gerais era território habitado pelos índios puris até a chegada dos primeiros europeus à região, a partir do século XVI.

Em 1674, o Bandeirante Lourenço Castanho Taques, seguindo a trilha de Jacques Félix, vindo de Pinheiro ao Rio Verde, avistou o Morro de Caxambum, habitado na época pelos índios cataguases. Em 1711, era conhecida como Cachambu. No ano de 1714, Caxambu era uma paragem conhecida como Cachumbu, sítio onde morava Alferes Alberto Pires Ribeiro.

Neste período “As Minas Gerais” pertenciam a capitania de São Paulo e foram divididas em três Comarcas, sendo Caxambu pertencente à Comarca do Rio das Mortes (São João del-Rei). Quando assim fizeram, a divisa entre a Comarca do Rio das Mortes e da Vila de Santo Antônio de Guaratinguetá foi colocada no alto do Morro de Cachumbu (do livro “Datas e Fatos da Terra do Rio Verde”, do historiador Benefredo de Sousa). Com a criação da Capitania Independente de Minas Gerais, em 2 de dezembro de 1720, era natural que permanecessem os mesmos limites, cabendo, à Capitania de São Paulo, toda a área das bacias dos rios Grande, Verde e Sapucaí. Afirma o historiador Hilton Federici, em seu livro “Histórias do Cruzeiro”, que “furtivamente, os membros da Câmara de São João del-Rei fizeram mudar a posição do marco, levando-o para o alto da Serra da Mantiqueira”.

Em 1814, conta-se que existiam apenas duas fazendas no povoado: a das Palmeiras e a Caxambu. Dizem que foi nesta época que descobriram a existência das fontes. Caxambu é famosa por suas ligações com a Família Imperial Brasileira, quando a própria Princesa Isabel e seu esposo Conde d’Eu, em 1868, vieram atraídos pela fama das águas.

A princesa buscava a cura de sua infertilidade. Através das águas ferruginosas da fonte, hoje denominada Princesa Isabel e Conde d’Eu, a princesa curou-se de sua anemia e engravidou. Assim, ela mandou erguer, na cidade, a Igreja de Santa Isabel da Hungria, em agradecimento por ter sido curada. Em 1875, a cidade tornou-se Distrito de Baependi e a qualidade de suas águas foi reconhecida, tendo a sua exploração sido concedida pelo governo de Minas Gerais a empresas particulares.

Em 16 de setembro de 1901, foi criada a vila de Caxambu. E, finalmente, em 18 de setembro de 1915, foi elevada à categoria de cidade, abrangendo, até o ano de 1938, a área da atual cidade de Soledade de Minas. Em Caxambu, também estiveram outras figuras brasileiras importantes, como Rui Barbosa, que, admirado com a beleza do local, escreveu o poema “Medicina entre Flores”.

Caxambu é uma cidade rica em águas minerais, gasosas e medicinais que se desenvolveu ao compartilhar suas riquezas e que leva o título de maior complexo hidromineral do mundo em variedade de água com propriedades diferentes.

Na cidade os adultos encontram diversas opções que os levam a mais pura sensação de saúde e bem-estar por meio dos banhos, duchas e massagens. Para crianças há diversão nas quadras, no lago com passeios de pedalinho e nas piscinas de água mineral.

O ar de cidadezinha do interior também está presente. Passeios de charrete apresentam o centro e são perfeitos na hora das compras. Além disso, o clima de Minas fica ainda mais evidente na pequena Baependi, a apenas oito quilômetros da cidade e cercada por cachoeiras e piscinas naturais.

VALE A PENA CONHECER CAXAMBU

VEJA HOTÉIS & POUSADAS QUE INDICAMOS PARA VOCÊ EM CAXAMBU.

Deixe-nos saber o que você pensa

* Campo obrigatório