03/09/2019 0 comentários

BARCARENA - PARÁ

Os primeiros habitantes das terras de Barcarena foram os índios Aruans, que, durante o período da colônia, antes de 1709 foram catequizados pelos padres jesuítas. Estes se instalaram em terras doadas por Francisco Rodrigues Pimenta, onde fundaram uma fazenda com o nome de Gebirié, depois conhecida como "Missão Geribirié", erigindo aí uma igreja, que ainda serve de matriz.

Posteriormente, elevado o povoado ã categoria de freguesia, sob a invocação de São Francisco Xavier. Sua elevação à categoria de Vila aconteceu, mediante a promulgação da Lei Estadual nº 494, de 10 de maio de 1897, ocorrendo sua instalação em 2 de janeiro de 1898, segundo estava determinado pelo Decreto nº 513, de 13 de dezembro de 1897.

Devido a sua proximidade de Belém, a cujo território pertenceu até 1938, Barcarena foi palco de importantes acontecimentos durante os agitados anos da Cabanagem. Em seu território morreu o cônego Batista Campos, a 31 de dezembro de 1834. Líder revolucionário paraense que editou um jornal contra o presidente Bernardo Lobo de Souza.

O nome "Barcarena" se originou da presença, no assentamento populacional, de uma grande embarcação que havia sido batizada como "Arena" vulgarmente conhecida como barca. A junção das duas palavras fez com que a localidade ficasse conhecida como Barcarena. Contudo, também existia em 1487 uma povoação em Portugal chamada Barcarena, e que de lá vinha a maior parte do armamento e pólvora do império Português (Fábrica da Pólvora de Barcarena), provavelmente o nome terá origem nesta localidade Portuguesa.

A cidade é um importante polo industrial, onde é feita a industrialização, beneficiamento e exportação de caulim, alumina, alumínio e cabos para transmissão de energia elétrica. A economia tem base tradicional na Agricultura, mas também avança com o turismo e com as indústrias instaladas na cidade, gerando crescimento econômico para o município e para o Estado do Pará. É em Barcarena que está localizado o maior porto do Estado do Pará: o Porto de Vila do Conde, onde a Santos Brasil administra o terminal de contêineres "Tecon" Vila do Conde.

Antigamente habitada por índios, Barcarena fica a 87 km da capital do Pará e oferece diversas atrações turísticas, como a Praia do Conde, de água doce, e muitos coqueiros. A cidade também abriga balneários de águas naturais e cristalinas, e tem ilhas (quatro) indicadas para passeios de eco turismo. No ramo cultural, Barcarena realiza todo ano o Festival do Abacaxi, Peixe, Caranguejeiro e do Açaí. O hotel mais inusitado do Estado fica na praia do Caripi:

A região é banhada pelo rio Tocantins onde, no verão, formam-se belas praias como Vila do Conde - Localizada na Vila do Conde, é banhada pela baía do Marajó. Possui grande extensão e é formada de areia branca e alva. Arborizada, a praia dispõe também de barracas especializadas na venda de comidas e de bebidas. Está situada a uma distância aproximada de 22 km, por via rodoviária, da cidade de Barcarena.

Caripi - Também na baía do Marajó, possui uma extensão de aproximadamente 3 km. Formada de areia branca e fina, sua vegetação é variada. Na praia do Caripi, uma atração especial chama a atenção dos visitantes: a Casa da Árvore, parte das instalações do Hotel Samaúma, que combina o conforto moderno ao espírito de aventura.

Itupanema - A praia está localizada na Vila de Itupanema. O acesso é rodo-fluvial, pela estrada que liga Barcarena ao complexo Albrás. Possui grande extensão e situa-se à margem da Baía do Marajó. Sua formação é em grande parte constituída por areia amarelada e rochedos.

De Barcarena partem embarcações com destino a Itupanema. A viagem acontece entre furos e igarapés. Itupanema é uma pequena vila de pescadores de onde se pode avistar, de um lado, a Ilha do Marajó e do outro o porto de Vila do Conde.

Carnapijó - A Vila do Carnapijó está distante 14 km por via rodoviária (PA-151) da cidade de Barcarena. O local é de propriedade particular, mas está aberto à visitação pública. A praia que circunda o local, em quase toda a sua extensão, é constituída de pedra e argila. O visitante vai encontrar árvores frutíferas como: mangueiras, coqueiros, taperebazeiros e açaizeiros. A praia é banhada pela baía do Marajó tendo em frente a Ilha das Onças. A vila do Carnapijó provoca grande deslumbramento. No local há um monumento com a imagem de Nossa Senhora do Tempo.

A Ilha de Itambioca, em Barcarena, também possui uma infinidade de praias pouco exploradas, que merecem um passeio especial.  Todas essas praias você acessa através do município de Barcarena, nas partidas do centro da cidade por carro, vans e barcos.

VALE A PENA CONHECER BARCARENA!

VEJA HOTÉIS & POUSADAS QUE INDICAMOS PARA VOCÊ EM BARCARENA.

Deixe-nos saber o que você pensa

* Campo obrigatório